fevereiro 26, 2017

Não tem nada a ver com livros, mas...

Para comemorar o Carnaval, a Toys'r'us deVila Nova de Gaia colocou esta decoração na loja:


Miguel Layún, partilhou esta foto nas suas redes sociais, manifestando a sua indignação, e a Toys'r'us já pronunciou sobre o assunto, desculpando-se por ferir susceptibilidades e tal, mas o que ninguém se lembrou de dizer é que a nossa tradição carnavalesca sempre foi satírica. E isto não é mais do que uma sátira ao célebre "muro de Trump".
Prefiro mil vezes explicar a uma criança o que é uma sátira, do que incentivá-la a dançar samba, com pouca roupa e debaixo de chuva.

fevereiro 23, 2017

Opinião: A Casa da Felicidade, Edith Wharton

Título: A Casa da Felicidade
Título original: The House of Mirth
Autor: Edith Wharton
Editor: Publicações Europa-América
ISBN: 9789721037847
Nº de páginas: 384

Sinopse: A bela Lily Bart vive entre os “nouveaux riches” de Nova Iorque, gente cujas fortunas foram feitas graças aos caminhos-de-ferro, aos transportes marítimos e à especulação imobiliária. É neste mundo moral e esteticamente decadente que Lily procura um marido capaz de satisfazer a sua enorme necessidade de se sentir admirada bem como de lhe garantir o luxo e a opulência que tanto aprecia. Envolvida num escândalo, acusada de se ter tornado amante do marido de uma amiga, Lily será votada ao ostracismo, deixando de encontrar um sentido para a vida.

     Lily Bart é possivelmente a personagem mais complicada de todas as obras de Edith Wharton, e é apresentada neste romance com um dos melhores retratos do brilho e crueldade da classe alta da sociedade de Nova York. Lily tem 29 anos e encontra-se dividida entre o desejo de se encaixar na sociedade e o desejo de uma relação, não se enquadrando em nenhuma delas. Este romance é então a história sobre a sua queda.
     Lily é vivaz, espirituosa, e sabe exatamente como manipular as pessoas ... mas a sua ganância e o desejo de ter uma boa vida levam na a rejeitar as propostas de casamento de vários homens que poderiam ter sido de outra forma adequados. Por essa razão, Lily tem dificuldade em ver o que está precisamente à sua frente - Lawrence Selden, seu amigo com quem ela tem um relacionamento complicado e às vezes bastante tenso ao longo do romance. No final, Lily é rejeitada pela sociedade da qual ela tão desesperadamente quer fazer parte.
     Dificilmente algum autor consegue descrever a sociedade de Nova York de classe alta da maneira que Edith Wharton. Como tal, este romance contém um brilhante comentário sobre o aspecto da dupla face para a sociedade da qual Wharton veio.


Edith Wharton nasceu em 1862 numa das famílias mais ricas e conceituadas de Nova Iorque. Para além de Sono Crepuscular, da sua vasta obra literária destacam-se A Idade da Inocência, Ethan Frome, Jovens Rebeldes e A Casa da Felicidade. Conhecida pela sua perspicácia e acutilância, é uma cronista excepcional e um dos nomes incontornáveis da literatura mundial. Foi a primeira mulher a ser distinguida com o Prémio Pulitzer de Ficção, a ser nomeada doutora honoris causa pela Universidade de Yale e a ser eleita para a Academia Americana de Artes e Letras. Faleceu em França, em 1937.

fevereiro 16, 2017

Resultado do passatempo: A Persistência da Memória

O primeiro passatempo do Entrelinhas chegou ao fim, e em sorteio estava um exemplar de ''A Persistência da Memória'', de Daniel Oliveira [podes ver a nossa opinião aqui].


A feliz contemplada é...
Madalena Almeida

Obrigada a todos que participaram no passatempo, se não ganharam desta vez não desanimem que em breve temos mais passatempos.





* O/A vencedor/a foi escolhido através do random.org
* Um e-mail será enviado à vencedora a fim de pedir os seus dados para envio do livro; caso não o reclame num perído de 72 horas será escolhido outro/a vencedor/a.



fevereiro 09, 2017

Opinião: A persistência da memória, Daniel Oliveira

Título: A persistência da memória
Subtítulo: Uma história de emoções
à flor da pele
Autor: Daniel Oliveira
Editor: Oficina do Livro
ISBN: 9789897411076
Nº de páginas: 240


Sinopse: Camila está em conflito permanente com a sua consciência. Dotada de uma aptidão rara, a que a medicina designa por síndrome de memória superior, tem a capacidade de se recordar ao pormenor de todos os acontecimentos da sua vida, mesmo aqueles que desejaria esquecer. Nesta teia de emoções, onde se misturam passado e presente, amor e perda, culpa e prazer, Camila busca a liberdade que a memória não lhe concede, sobrevivendo entre relações extremas e perversas. Um segredo inconfessável e a frágil fronteira entre sonho e realidade atravessam este romance desconcertante sobre a intimidade de uma mulher perseguida pelas sombras da sua própria história.


Um divórcio, uma viagem para o Brasil, uma mulher bem sucedida com uma super memória capaz de a fazer voltar a todas as sensações que já vivenciou.

A história de Camila é nos contada pela própria, e ao longo do livro temos a sensação que não somos assim tão complicadas, afinal o livro é escrito por um homem a relatar os dramas e ansiedades de uma mulher na primeira pessoa. Mas, como qualquer mulher, o caos continuará a crescer dentro de Camila, bem como a sua memória.
Daniel Oliveira esteve muito perto de saber o que pensam as mulheres, só que não!
"Quando alguém diz que quer ir, já foi."


Daniel Oliveira, nascido em 1981, é a cara do programa Alta Definição, da SIC. Estreou-se na escrita em 2001 lançando o livro 1 Dose Droga 1 Grama Esperança? que relata a sua infância com pais toxicodependentes.


***

Habilita-te a receber um exemplar desta obra
através do passatempo a decorrer até
 15 de Fevereiro de 2017.


fevereiro 05, 2017

PASSATEMPO: ''A Persistência da Memória'', de Daniel Oliveira

Hoje vamos lançar o nosso primeiro passatempo e temos um exemplar do livro ‘’A Persistência da Memória’’ de Daniel Oliveira, para oferecer.

Para puderes ganhar este exemplar só tens de ser seguidor/a do blog Entrelinhas, fazer GOSTO na página de Facebook do blog, partilhar o passatempo e preencher o formulário em baixo.

Regras de participação:
  • O passatempo decorrerá até às 23h59 do dia 15 de Fevereiro de 2017
  • Ser seguidor/a do blog e da página do facebook
  • Só serão aceites participações de Portugal Continental
  • Apenas é aceite uma participação por pessoa
  • O vencedor será publicado aqui no blog e contactado via e-mail
  • O blogue não se responsabiliza por extravios nos CTT
  • A partilha do passatempo é obrigatória